6 revelações chocantes – The Hollywood Reporter Absoluciojona Noticias

[This story contains spoilers from The Prison Confessions of Gypsy Rose Blanchard.]

Gypsy Rose Blanchard, cuja história foi contada inúmeras vezes, inclusive no Hulu O atocompartilhou seu próprio relato de seu passado em uma série de entrevistas sinceras ao longo de 18 meses para o documentário Lifetime As confissões da prisão da cigana Rose Blanchard.

Gypsy foi libertado da prisão no mês passado em liberdade condicional depois de cumprir oito anos e meio de uma pena de prisão de 10 anos. Ela se declarou culpada por persuadir Nicholas Godejohn, um namorado que conheceu online, a matar sua mãe, Dee Dee Blanchard, que forçou Gypsy a fingir durante anos que sofria de doenças graves, incluindo leucemia e distrofia muscular.

Na série documental, Gypsy compartilha várias revelações importantes, algumas das quais ela não havia compartilhado anteriormente com ninguém, incluindo sua própria família.

“Acho que a maior razão pela qual me contive todo esse tempo e estou me apresentando agora é porque eu simplesmente não estava emocionalmente preparada naquele momento”, disse ela. O repórter de Hollywood de por que era o momento certo para abrir de uma forma tão honesta. “Há muitas coisas para resolver na minha vida – mais do que apenas com minha mãe. E então eu acho que na hora de fazer minhas entrevistas anteriores, tudo estava tão cercado por minha mãe e eu. Então acho que agora estou chegando a um lugar onde poderia estar mais confiante para me abrir um pouco mais e sentir como Estou em um espaço seguro o suficiente para [open up]. É por isso que sou tão sincero neste documentário.”

Aqui estão seis das maiores revelações que ela compartilha no documento.

Blanchard acusa seu avô de molestá-la sexualmente.

Depois que Dee Dee se divorciou do pai de Gypsy, Rod Blanchard, a mãe e a filha foram morar com o pai de Dee Dee, Claude Pitre Sr., e a madrasta, Laura.

“Quando eu morava com [them]as coisas mudaram na minha vida para sempre. Eu estava sendo abusada sexualmente”, diz ela. “Meu avô me tirava da cadeira de rodas e me levava para um armário ou barraco que ficava atrás da casa deles… e ele fazia atos sexuais comigo. Ele me faria tocá-lo. Ele me tocaria. Aos 9 anos, acho que não sabia que estava errado. Mas então meu avô me disse para não contar a ninguém. …Eu não queria que ele tivesse problemas.”

Enquanto estava na prisão, ela contou à madrasta, Kristy, sobre o abuso, mas foi difícil para ela se abrir sobre isso. “O abuso não era algo que eu queria expor porque simplesmente não estava pronto para isso”, diz Gypsy. “Mas sinto que liberar tudo isso seria muito terapêutico para mim.”

Os produtores confrontam Pitre no documentário e ele nega a acusação. Sua resposta: “Não, nunca – foi a primeira vez que ouvi falar disso. Nós sempre tocávamos juntos e sempre fazíamos coisas juntos e coisas assim.” Questionado sobre por que Gypsy diria algo que não é verdade, ele responde: “Não sei, não sei, querido. Ela tentaria me tocar. Eu disse: ‘Não, não faça isso’. Era ela quem estava tentando me tocar e eu disse: ‘Não, não faça isso’. Ela começou isso quando tinha cerca de 4 anos. E eu disse: ‘não faça isso’. E é isso, mas ela estava tentando me tocar.

O irmão de Dee Dee, Evans Pitre, sugere que Dee Dee plantou a ideia na cabeça de Gypsy.

Gypsy diz: “Não há nenhuma parte de mim que questione se isso aconteceu ou não, isso aconteceu 100 por cento, e ele poderia levar isso para o túmulo se quiser, mas a única pessoa que não vai visitá-lo em seu túmulo sou eu.”

Ela tentou contar para a mãe cerca de um ano depois, mas Dee Dee ficou emocionada e começou a se culpar, então Gypsy “se calou”, diz ela no documento.

A mãe de Gypsy colocou um “feitiço vodu” nela.

Enquanto ainda morava com a mãe, Gypsy conheceu um homem chamado Dan em uma convenção de cultura pop no Missouri chamada VisionCon. Mais tarde, ela fugiu para a casa dele, onde Dee Dee a encontrou e a convenceu a voltar para casa com falsas promessas de deixar Gypsy continuar a vê-lo se ela voltasse para casa com ela. Quando chegaram em casa, Dee Dee acorrentou Gypsy à cama por duas semanas com algemas e uma coleira de cachorro, e ela se tornou fisicamente abusiva, batendo na filha com as mãos ou em itens como cabides.

Em um esforço para continuar a controlar Gypsy, Dee Dee colocou o que Gypsy chama de “feitiço vodu” em sua filha. Ela comprou um pote de vidro e dentro dele colocou fotos de Dan e Gypsy, uma língua de vaca e um pouco do sangue menstrual de Gypsy. Ela o enterrou no quintal e disse a Gypsy: “Você nunca encontrará o amor. Você nunca será feliz. Gypsy acreditou em sua mãe e ainda hoje sente que sua mãe estava certa. “Eu só acho que é verdade porque, tipo, toda vez que me aproximo de alguém, eles me abandonam”, diz ela no documento. Em 2019, Gypsy ficou noiva de um homem chamado Ken enquanto estava na prisão; ele acabou deixando-a, o que partiu seu coração. “E então eu sempre trago isso de volta àquela maldição, onde acredito que seja verdade”, diz ela em meio às lágrimas. “Ela nunca quis que eu encontrasse o amor ou fosse feliz, e eu simplesmente me sinto assim.” Esse incidente, com as correntes e o feitiço, foi o que fez Gypsy começar a pensar seriamente em querer viver sua vida sem a mãe.

Gypsy atirou na mãe com uma arma de ar comprimido.

Depois que Gypsy fugiu, sua mãe comprou uma arma. “Isso me assustou profundamente”, diz ela. “Eu estava com medo que ela me matasse.” A certa altura, Gypsy decidiu fugir novamente e fez uma mala, mas Dee Dee encontrou a mala e percebeu o que Gypsy estava planejando. A arma estava sobre a mesa e Gypsy agarrou-a e ameaçou Dee Dee. “Sem que eu percebesse, puxei o gatilho quantas vezes pude”, diz Gypsy, acrescentando que, na época, ela não conseguia acreditar no que tinha acabado de fazer. Alguns tiros atingiram Dee Dee, causando ferimentos superficiais. Descobriu-se, sem o conhecimento de Gypsy até então, que a arma era uma pistola de ar comprimido. “Fiquei aliviado porque não pretendia matá-la, mas a questão é que fiquei chocado por ter puxado o gatilho”, diz Gypsy. Quando os produtores contam essa história para a madrasta de Gypsy, Kristy, que nunca tinha ouvido falar sobre isso, ela responde: “Bom para ela”.

Dee Dee inventou uma história para disfarçar o ferimento, dizendo que foi abordada por um homem que pedia sua carteira no estacionamento de um Walmart. Quando ela deu a ele, disse ela, ele atirou nela 10 vezes com uma pistola de ar comprimido.

Gypsy diz que foi viciada em analgésicos durante anos, inclusive quando sua mãe foi assassinada

“Ninguém sabe que eu tinha um vício antes da prisão, muito menos na prisão”, revela Gypsy.

Ainda viva, Dee Dee marcou uma consulta para Gypsy com um otorrinolaringologista, alegando que sua filha tinha salivação excessiva, problema comum em quem tem paralisia cerebral. Antes da consulta médica, Dee Dee colocou Orajel na boca de Gypsy, para que ela a anestesiasse e a fizesse babar. Como resultado, Gypsy teve suas glândulas salivares removidas. Isso a levou a perder vários dentes e ela ficou viciada em analgésicos.

“Os médicos me receitaram analgésicos após a cirurgia”, diz ela. “Mas quando o analgésico acabou, eu ainda sentia dor e minha mãe tinha uma receita de Vicodin. E então, quando ela não estava olhando, eu simplesmente pegava um ou dois de sua mamadeira. Eu não sabia o que realmente era o vício. Eu simplesmente sabia que era um desejo que era tudo em que conseguia pensar. Eu queria outro.

Sua tolerância aumentou a ponto de ela tomar cada vez mais comprimidos, e sua mãe começou a suspeitar que algo estava acontecendo, mas Gypsy mentiu para ela e disse que nada estava acontecendo. Ela tinha 16 anos na época. Mas, Gypsy admite, ela estava chapada na época do assassinato de sua mãe (Gypsy tinha 23 anos na época). O vício também a acompanhou até a prisão.

“Quando cheguei à prisão, fui submetida a muita pressão dos colegas e fumei durante cerca de um ano”, diz ela. “Comecei com o vaping e tornou-se viciante, obviamente. E então comecei a fumar de verdade e isso me levou a fazer algumas escolhas erradas das quais me arrependo.”

Ela também tomou Suboxone, um medicamento usado para tratar a dependência de opioides. Eventualmente, ela devia US$ 50 a um companheiro de prisão pelas drogas e mentiu para a madrasta para conseguir o dinheiro. Mas a mentira a assombrou durante anos.

“Eu me odiava e odiava o que me tornei”, diz ela, decidindo contar a verdade para Kristy. Sua mãe a perdoou e Gypsy aprendeu que “posso contar qualquer coisa a Kristy. Estou limpo, estou sóbrio e não sou mais essa pessoa.”

Gypsy fez um vídeo para Godejohn mostrando como cometer o assassinato.

No vídeo, que aparece no documento Lifetime, Gypsy mostra a Godejohn como chegar ao quarto de Dee Dee assim que ele chegar em casa com a intenção de matá-la. “Isso é algo que nunca revelei antes a ninguém, exceto aos advogados”, diz ela. “Fiz um vídeo para Nick que é como um passo a passo de como é o layout da casa, como é o quarto da minha mãe, porque ele entraria no quarto dela no escuro.

No vídeo, assim que Gypsy chega na cama de Dee Dee, ela pode ser vista fazendo movimentos de facada. “Fiz movimentos de facada porque estava o tempo todo drogada com analgésicos”, diz ela. “Os efeitos colaterais disso criam essa desconexão com a realidade.”

Gypsy procurou seu ex antes de se casar com Ryan Anderson.

Antes de se casar com o marido Ryan Anderson, Gypsy ficou com medo.

“Sempre tive dificuldade em deixar meu ex-noivo, Ken”, diz Gypsy, explicando que Ken terminou com ela por causa da preocupação com a duração de sua sentença de prisão e a atenção indesejada que advinha por ser seu noivo. “Foi devastador para mim.”

Mais tarde, Gypsy ficou noiva de Ryan Anderson, um professor da Louisiana. Doze dias antes de se casar com Anderson, Gypsy revelou a ele que havia contatado Ken algumas semanas antes. Ela mentiu e disse que não tinha contato com Ken há meses.

Anderson ficou ferido, mas os dois superaram isso, e ela garantiu que não queria mais ficar com Ken. “Omiti a verdade, mas quero entrar neste casamento sem arrependimentos”, diz ela a Anderson. “Quero entrar neste casamento sabendo que limpei a lousa de quaisquer omissões, mentiras, qualquer coisa.” O casal acabou se casando e atualmente está se adaptando à nova vida juntos na Louisiana.

About Jia Anjani

Check Also

2024 ACE Eddie Awards: lista completa de vencedores Absoluciojona Noticias

Universal Oppenheimer e recursos de foco’ Os remanescentes ganhou os principais prêmios teatrais no domingo …